15 de julho de 2010

A Base Verdadeira da Democracia - C. S. Lewis

EU ACREDITO na igualdade política. Porém, há duas razões opostas para alguém ser um democrata. Por um lado, você pode pensar que todos os homens são tão bons que merecem um lugar no governo da comunidade, e tão sábios que a comunidade necessita do seu conselho. Essa é, na minha opinião, a doutrina falsa e romântica do governo democrático. Por outro lado, você pode achar que o homem decaído é tão mau que nenhum homem merece confiança suficiente para exercer qualquer poder sobre os seus companheiros.

Acredito que essa seja a base verdadeira da democracia. Não acredito que Deus tenha criado um mundo igualitário. Acredito que a autoridade do pai sobre o filho, do marido sobre a esposa, do mais culto sobre o menos instruído é tão parte do plano original quanto a autoridade do homem sobre os animais. Creio que, se não tivéssemos caído, [...] a monarquia patriarcal seria a única forma de governo justa. Mas, como aprendemos a pecar, descobrimos como o Lorde Acton diz, que "todo poder corrompe e o poder absoluto corrompe de forma absoluta". O único remédio tem sido abolir os poderes e substituí-los por uma ficção legal de igualdade. A autoridade do pai e do marido foi corretamente abolida no plano legal, não porque ela é má em si mesma (pelo contrário, trata-se, creio, de algo divino na origem), mas por causa da maldade dos pais e dos maridos. A teocracia foi corretamente abolida, não porque a autoridade dos padres sobre os leigos é ruim, mas porque os padres são pessoas tão más quanto todos nós. Até mesmo a autoridade do homem sobre os animais teve de ser restringida, porque ela é constantemente abusiva.


A igualdade é para mim o mesmo que as roupas. Resulta da queda e é o remédio para ela. Qualquer tentativa de retroceder nos passos que demos até chegar ao igualitarismo e de reintroduzir as velhas autoridades no âmbito político é para mim tão tola quanto seria o ato de tirarmos toda a roupa. Tanto os nazistas quanto os nudistas cometem o mesmo erro. Porém, é o nosso corpo nu que continua existindo debaixo das nossas roupas. É o mundo hierárquico, ainda vivo (muito apropriadamente) escondido por trás da fachada de uma cidadania igualitária, que é a nossa preocupação real.

Por favor, não me entenda mal. Não estou reduzindo o valor dessa ficção igualitária, que é a nossa única defesa contra a crueldade mútua. Devo reprovar qualquer proposta de abolir o voto universal, ou o Married Women’s Property Act. Porém, a função da igualdade é puramente preventiva. Trata-se de medicina, não de alimento. Ao tratarmos os seres humanos (numa oposição prudente dos fatos observados) como se fossem todos do mesmo tipo, evitamos inúmeros males. No entanto, não fomos criados para viver com base nisso.


C. S. Lewis –
The Weight of Glory
(Peso de Glória)