3 de maio de 2011

Manifesto Missional


Deus é um Deus de envio, um Deus missionário, que chamou o Seu povo, a igreja, para ser agentes missionários de Seu amor e glória. O conceito missional sintetiza esta idéia. Este manifesto visa servir a igreja, clarificando a sua vocação e ajudá-la a compreender teologicamente e viver de forma prática a missão de Deus no mundo de hoje. Embora seja dito com frequência que "a igreja de Deus tem uma missão", segundo a teologia missionária, uma expressão mais precisa é "a missão de Deus tem uma igreja" (Efésios 3:7-13).


Um dos objetivos da teologia é salvaguardar o significado das palavras, a fim de manter a verdade e articular uma visão bíblica do mundo dentro da comunidade de fé. Resgatar a integridade da palavra missional é especialmente crítico. Não é nossa intenção (ou dentro de nossas habilidades) definir palavras para os outros, mas nós entendemos que é útil descrever e definir a forma como estamos usando o termo e convidar outras pessoas a fazerem o mesmo. A compreensão biblicamente fiel e missional de Deus e da igreja é essencial para o avanço do nosso papel na sua missão e, assim, para o dinamismo do cristianismo no mundo.


É preciso primeiro ter claro o que não significa missional. Missional não é sinônimo de movimentos tentando contextualizar culturalmente o cristianismo, implementar o crescimento da igreja, ou se engajar em ações sociais. A palavra "missional" pode abranger todos os itens acima, mas não está limitada a qualquer um destes.


Compreender adequadamente o significado de missional começa com o reconhecimento da natureza missionária de Deus. O Pai é a fonte da missão, o Filho é a personificação dessa missão, e a missão é feita no poder do Espírito. Por natureza, Deus é o "aquele que envia", que inicia o resgate de sua criação. Jesus sempre falou de si mesmo como sendo "enviado" no evangelho de João e, posteriormente, comissionou seus discípulos para este mesmo fim (João 17:3, 8, 18, 21, 23, 25). Como o povo "enviado" de Deus, a igreja é o instrumento da Sua missão (João 20:21).


Uma sólida base no Evangelho, obediência a Cristo e postura para o mundo são componentes críticos para os indivíduos e as igrejas viverem de forma missional. Uma comunidade missional é aquela que considera a missão simultaneamente como seu impulso originário e princípio organizador (Atos 1:8). Ela toma decisões nesse sentido, acreditando que Cristo envia os Seus seguidores ao mundo, assim como o Pai O enviou ao mundo.


A Igreja, portanto, devidamente encoraja todos os crentes a viverem a sua vocação principal como embaixadores de Cristo (2 Coríntios 5:20) para aqueles que não conhecem Jesus. O ministério da reconciliação é aplicável tanto a sua cultura nativa como ao ministério transcultural para o mundo todo. Nesse sentido, todo crente é um missionário enviado pelo Espírito para uma cultura não-cristã ativando toda a sua vida na busca de participar mais plenamente na missão de Deus.


Missional representa uma mudança significativa na forma como entendemos a igreja. Como o povo de um Deus missionário, a nós é confiado participar do mundo da mesma forma que Ele faz, comprometendo-se a ser Seus embaixadores. Missional é a perspectiva de ver as pessoas como Deus vê e engajar-se na atividade de alcançá-los. A Igreja em missão é a Igreja como Deus planejou.



Com isso em mente, afirmamos o seguinte:


1. Autoridade: Como uma revelação sobre a natureza de Deus, só podemos compreender verdadeiramente a missão de Deus por aquilo que é revelado através das Escrituras. Portanto, nossa compreensão da missio Dei e da Igreja missional deve sempre ser dirigida e moldada pela Palavra de Deus revelada nas Escrituras, e não pode ser contrária a ela.


2. Evangelho: Afirmamos que Deus, que é mais santo do que podemos imaginar, olhou com compaixão para uma humanidade composta de pessoas que são mais pecadores que nós iremos admitir e enviou Jesus para a história para estabelecer o Seu reino e reconciliar as pessoas e o mundo consigo. Jesus, cujo amor é mais extravagante do que podemos medir, deu a Sua vida como uma morte substitutiva na cruz e foi ressuscitado fisicamente, para assim propiciar a ira de Deus. Através da graça de Deus, quando uma pessoa se arrepende de seus pecados, confessa o Messias, o Senhor, e crê na Sua ressurreição, ela ganha o que a Bíblia define como vida eterna e nova. Todos os que creem são assim reunidos na igreja, uma comunidade de aliança que trabalha como "agente de reconciliação" para proclamar e viver o evangelho.


3. Reino: Afirmamos que o evangelho é a boa notícia do Reino de Deus. O Reino é a governo ativo e abrangente de Deus sobre sua criação. O reinado soberano de Deus traz a justiça (relacionamento correto com Deus, com os outros e com a criação), restaura a justiça, e traz a cura para um mundo quebrado. O Reino de Deus foi inaugurado, mas ainda "ainda não" é. Não será totalmente revelado até que Jesus volte. A igreja, nascida na esteira do reino, serve como um agente do Rei no "já e ainda não" do Reino por proclamar e difundir o Evangelho e viver as suas implicações.




4. Missão: Nós afirmamos que a missio Dei é a missão do Deus trino para glorificar a Si mesmo. Deus então age neste mundo, redimindo o homem pecador e, no futuro, restaurando a criação corrompida. O Pai enviou seu Filho para realizar este resgate e envia o Espírito para que aplique esta redenção aos corações dos homens e mulheres. Incluída na missão de Deus está a ecclesia missio pela qual Ele capacita a igreja para um testemunho e um serviço que conduz à testemunha. Os crentes são chamados a compartilhar o evangelho com as pessoas para que elas possam vir a conhecer Cristo. Movendo-se de Deus, através da igreja, para o mundo, o trabalho redentor de Deus resulta em pessoas de toda tribo, língua e nação respondendo, ao longo da vida, na adoração de Deus. Em última análise, a missio Dei vai abranger toda a criação, quando Deus cria um novo céu e nova terra.




5. Igreja: A Igreja é sinal e instrumento do Reino de Deus, nascido do Evangelho do Reino e incumbida da missão do Reino. A igreja é uma comunidade de aliança, de crentes imperfeitos mas redimidos vivendo em nosso mundo. Os seguidores de Cristo não vivem a sua missão de forma isolada, mas, pelo contrário, o Espírito de Deus envolve os crentes em comunidades cristãs locais, ou seja, igrejas. É na e pela comunidade como a sua missão no mundo é reforçada.




6. Cristocêntrica: Cremos que Jesus é o centro do plano de Deus. Por extensão, a igreja como o corpo de Cristo é o meio principal da missão de Deus para o Seu mundo. Afirmamos que enquanto a obra e a presença de Deus não se limitam à igreja, não obstante a proclamação do evangelho de Cristo vem através da igreja e dos crentes em todos os lugares. Os membros da igreja, vivendo pelo poder do Espírito Santo, estão sendo conformados à semelhança de Cristo em suas atitudes e ações.


7. Fazendo Discípulos: Acreditamos que discipular as nações é o aspecto essencial da missão de Deus (Mateus 28:18-20). O evangelho conclama as pessoas a responder com fé e arrependimento à boa notícia do Reino em e pelo poder do evangelho. O amadurecimento dos crentes é inerente ao trabalho da igreja de conduzir aqueles que colocam a fé em Jesus desde a infância espiritual para a maturidade espiritual (Colossenses 1:28). Isto significa que a igreja treina seus membros para serem líderes em ações de justiça e no ministério para os pobres, assim como viver as implicações de sua fé nos negócios, nas artes, na política, na academia, na casa, e em toda a vida. Como a igreja faz discípulos, ela os equipa a levar sua fé para cada área de sua vida, privada e pública.


8. Dualidade: Nós acreditamos que a missão e a responsabilidade da igreja inclui tanto a proclamação do Evangelho quanto sua demonstração. De Jesus, aprendemos que a verdade deve ser proclamada com autoridade e vivida com graça. A igreja deve constantemente evangelizar, responder com amor às necessidades humanas, assim como "procurar o bem da cidade" (Jeremias 29:7). Ao viver as implicações do evangelho, a igreja missional oferece uma defesa verbal e um exemplo vivo de seu poder.


9. Universalidade: Nós acreditamos que a missão de Deus e, portanto, a missão de seu povo, se estende a todo povo, nação, tribo, e língua, com pessoas de todo gênero, idade, escolaridade, posição social e crença religiosa (ou falta dela). Assim, uma igreja missional intencionalmente abraçará a diversidade local e irá atravessar barreiras sociais, culturais e geográficas como agentes da missio Dei . A missão de Deus, ainda, universalmente engloba todos os aspectos da vida: pessoal, familiar, social, cultural e econômico. Esta é fundamentada na autoridade universal e senhorio de Jesus Cristo.


10. Aplicação: Acreditamos que a missão da Igreja continua na multiplicação e maturação dos seguidores de Cristo (discipulado), aumentando o número de congregações (plantação de igrejas) dedicadas a do reino de Deus (que vivem sob o seu senhorio), estendendo a fama de Deus por toda a terra (adoração ), e fazendo o bem em nome de Cristo (as obras de misericórdia).

* * *


Porque cremos nessas coisas, somos compelidos à ação. Conclamamos o povo de Deus para alinhar-se em torno do senhorio de Jesus, da natureza missional da sua igreja, e a realidade de seu reino. Nós convidamos o corpo de Cristo em todos os lugares para ver as pessoas e o mundo através das lentes do reino de Deus, para viver uma vida santa como discípulos de Jesus, e para representá-lo intencionalmente juntos como a igreja. Afirmamos que Jesus foi enviado para cumprir os propósitos de Deus no mundo através de Sua vida perfeita, a morte vicária e ressurreição física de modo que o resgate pudesse ser disponibilizado para nós. Com Cristo como nosso ponto focal, o Seu reino como o nosso destino, e de Seu Espírito como o nosso fortalecimento, aceitamos o privilégio e a alegria de sua missão.



http://www.missionalmanifesto.net/
Os autores deste documento incluem:

Ed Stetzer   |   Alan Hirsch   |   Tim Keller   |   Dan Kimball   |   Eric Mason   |