15 de janeiro de 2010

A Tarefa de Impedir o Caos




Lemos nesse momento notícias sobre o Haiti, de que "tragédia deixou país sem governo", e também de relatos, como no blog de pesquisadores da Unicamp no Haiti, de que "os haitianos estão se virando como sempre" enquanto a ajuda não chega.




Refletindo sobre esses acontecimentos, transcrevo abaixo uma passagem de uma reflexão de Tom Wright acerca do tema "Política e Império" como uma das tarefas intermediárias a que os cristãos devem se dedicar no sentido de colocar em prática, com base na vitória de Jesus Cristo em sua morte e ressurreição, o início, os sinais prévios do novo mundo que somos chamados a imaginar:

Um dos fatos mais assustadores da calamidade ocorrida em Nova Orleans em agosto de 2005 foi a ausência, durante alguns dias, de toda lei e ordem. É o caos que novamente surge quando a força é a única lei e os fracos são o alvo fácil. Deus abomina esse tipo de situação, em qualquer nível, e chama as autoridades humanas para impedirem que isso aconteça (...)


O cristão tem a obrigação de honrar a autoridade governante, qualquer que seja ela, e de trabalhar constantemente para lembrar a essa autoridade da tarefa que Deus lhe confiou e encorajá-la a desempenhar bem sua função. Essa tarefa principal é fazer justiça, exercitar o amor misericordioso e garantir que os fracos e vulneráveis recebam todo cuidado necessário. Assistência médica (uma das maiores inovações introduzidas pelos primeiros cristãos foi cuidar dos enfermos, inclusive dos que não eram cristãos nem parentes de cristãos), educação, trabalho em favor dos pobres -- esses sinais de que Jesus é Senhor e de que os poderes do mundo são seus servos.

N. T. Wright, O Mal e a Justiça de Deus, Ultimato.