19 de agosto de 2008

Ativistas cristãos presos na China

Autoridades prenderam por dez horas três ativistas cristãos americanos que estavam fazendo uma manifestação na Praça Tiananmen. O reverendo Pat Mahoney, da Coalizão de Defesa ao Cristão em Washington; Brandi Swindell, da Geração Vida (Life Generation) de Boise, capital de Idaho; e Michael McMonagle, diretor nacional do Geração Vida, conseguiram se ajoelhar e orar, mas foram levados sob custódia no dia 6 de agosto após exibirem uma bandeira onde se lia em inglês e chinês: "Jesus Cristo é Rei".

Policiais à paisana foram ao encontro dos três manifestantes e discretamente tentaram levá-los para outro lugar. Diante da insistência dos cristãos em ficar, mais e mais policiais vestidos com roupas informais começaram a chegar, formando um aglomerado ao redor dos cristãos.

Muitos apareceram com guarda-chuvas e os colocaram bem em frente à bandeira com os dizeres, numa tentativa de evitar que as pessoas percebessem o manifesto.

Vídeos mostram a discrição das autoridades chinesas

No youtube é possível ver algumas imagens distantes do momento em que os policiais à paisana abordam os cristãos. O autor do vídeo também foi identificado e preso pela polícia chinesa . Veja um vídeo do protesto aqui em que um policial de bermuda aparece e outro mostrando um aglomerado de pessoas ao fundo, aqui.



Os cristãos foram interrogados, tiveram seus vistos suspensos, celulares confiscados e foram obrigados a pagar US$ 2 mil para retornarem aos Estados Unidos, numa espécie de multa e convite forçado para deixarem a China.

"Esse é o momento de expor as práticas repressivas da China”, disse Bandi Swindell. O objetivo do protesto, segundo ele, foi mostrar a perseguição religiosa e os abusos aos direitos humanos, como a política do governo chinês de forçar que as cidadãs abortem.

O grupo estendeu a bandeira com os dizeres cristãos na praça onde em 1989 estudantes foram mortos em um massacre quando pediam por democracia.

Tradução: Tsuli Narimatsu

Fonte: Portas Abertas