7 de junho de 2008

Mendigando a Verdade


A verdade é desprezível? Não. Ela é apenas desprezada, muito desprezada. Hoje é comum dizer: “Não existe certo e errado, existe o que é melhor para você”. Não se preocupa mais com valores morais, éticos e puros. Apenas com o que é melhor. Pensamentos nesse nível desprezam as conseqüências das ações e ignoram a racionalidade ao propor o padrão de decisão das escolhas como sendo os sentimentos.

“... a justiça se pôs longe, porque a verdade anda tropeçando pelas ruas, e a eqüidade não pode entrar”.¹ Não pode entrar, porque como escreveu o diretor do Projeto Genoma: “Se não há verdade absoluta, será que o próprio pós-modernismo é real? De fato, se não existe certo e errado não há motivos para discutir a disciplina da ética”

Sem uma verdade, sem certo e errado não há motivos para prisões, coerções ou disciplinas. O que prega uma falsa liberdade, pois liberdade sem consciência e limites é libertinagem, anarquia ou orgia. E não me venham com desculpas de não conhecer o que é certo ou errado. Pois todos sabem um pouco sobre isso. Renda-se ao que é puro e agradável. Abra seu coração ao que liberta. Para de mendigar a verdade.

v.carlos




Notas: ¹_ Escrito por Isaías no capítulo 59, versículo 14 de seu livro. A maioria dos historiadores crê que Isaías viveu entre 740 a.C. e 681 a.C.

²_ Francis Collins / ‘A Linguagem de Deus’ / pág. 32 / Editora GENTE.