8 de fevereiro de 2009

Tudo Se Resume no Amor

Em 1846, Finney escreveu sua obra mais importante. Intitulou-a Lectures on Systematic Theology (Palestras sobre teologia sistemática). Ela é a sua declaração de princípios, dos princípios que produziram resultados tão maravilhosos quando praticados.

E temos acesso a esses princípios, atualmente?

Felizmente temos. Mas, por uma razão qualquer, eles têm sido esquecidos. E esse esquecimento é uma razão das tragédias de nossos dias.

É bem verdade que as pessoas gostam de falar sobre a grande vida de Finney e seus avivamentos. Mas não são muitos os que estão dispostos a cavar fundo em tua teologia, com mente totalmente desarmada, dispostos a descobrir a verdadeira razão de seu sucesso -- a verdade lógica, escriturística que libertou a tantos.

O ministério dinâmico de Charles Finney é uma eloqüente demonstração prática dos princípios expostos em sua teologia. Assim também, essa teologia constitui uma revelação de seu gigantesco intelecto, e do nobre coração daquele que foi o príncipe dos ganhadores de almas. Não; Finney não foi um frio expositor logístico, nem um teólogo morto. Seu ministério o comprova.

Portanto, quando sabemos que uma pessoa ganhou meio milhão de almas para Cristo, e ele nos revela quais são os princípios básicos de seu trabalho, precisamos examinar esses princípios com muita atenção.

Extraído do primeiro capítulo de "Tudo se Resume no Amor", de J. W. Jepson, Editora Betânia. O original é de 1977. Cheguei a esse livro após ler a Autobiografia de Finney, lançada no Brasil pela Editora Vida com o título "Memórias Originais de Charles G. Finney". Eu já tinha ouvido falar de Finney como avivalista e já tinha visto sua Teologia Sistemática há algum tempo. Mas não fui suficientemente convencido a levá-lo a sério como teólogo. Foi a indicação de Dallas Willard no seu site que me impeliu a conhecê-lo melhor. Estou impressionado com o entendimento moral de Finney e as implicações da conversão para a vontade humana. Destaco competente explicação de Finney de que o amor não é um sentimento.

Quem leu sua autobiografia sabe que Finney conviveu com oposição a teológica. Recentemente, alguns críticos de Finney tem escrito textos questionando seu legado. Como exemplo, cito um post do Orthodoxia.

Para explorar mais:

It all adds up to Love
El Amor: La Base de Todo
Teologia Sistemática de Charles Finney