25 de setembro de 2007

Perdoar é:

Colocar no chão uma mochila de 20 kg depois de subir 15 km numa encosta de montanha.

Libertar um prisioneiro e descobrir que o prisioneiro era você.

Dançar ao ritmo do coração perdoador de Deus.

Nosso único escape da injustiça cruel do passado e nossa única passagem às possibilidades criativas do futuro.

O poder mais criativo concedido ao espírito humano e o poder de curar as feridas de um passado que não se pode mudar.

Uma jornada: quanto mais profunda a ferida, mais longa ela será.

A cura da dor e não a tentativa de evitá-la.


Trecho de artigo de Lews Smedes, publicado na última edição da Revista Impacto, disponível em www.revistaimpacto.com