31 de julho de 2007

Compreendendo os Diferentes Tempos Espirituais

/11 de Maio de 2007 Por: Dan Duke


Eclesiastes 3:1 diz: “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.” Muitos que estão lendo este verso das Escrituras se encontram em um novo e quem sabe difícil momento de suas vidas. Uma das razões pelas quais cheguei a esta conclusão é que em minhas constantes viagens tenho visto uma sequidão pousando em grande parte das congregações que visito. Há um descontentamento geral até mesmo em meio às igrejas avivadas.


O meu escritório recebe e-mails de muitas pessoas descrevendo o esfriamento do fogo em seus corações e a perda de sua paixão pelas coisas de Deus. A maior parte destas pessoas culpa a si mesmas por estarem frias pensando que elas são as únicas pessoas que se sentem assim. Acredite em mim, isto está muito longe da realidade.

Você deve conhecer e compreender que as coisas do Espírito são temporais da mesma maneira que no mundo natural. Todos nós temos a nossa estação favorita do ano mas nós também sabemos que até mesmo a nossa estação favorita eventualmente mudará. Alguns preferem o verão, outros o inverno enquanto outros gostam mais do outono ou da primavera.

Em Gênesis 8:22 lemos: “Enquanto a terra durar, sementeira e sega, e frio e calor, e verão e inverno, e dia e noite não cessarão.” Embora isto se aplique diretamente à terra no sentido físico é em essência um princípio espiritual. Os problemas surgem quando uma pessoa não consegue discernir o seu tempo (estação) espiritual ou até mesmo o tempo (estação) espiritual de uma nação. Se uma pessoa não identificar corretamente o tempo (estação) e o propósito deste tempo (estação), ele ou ela responderão de uma maneira errada na grande maioria das vezes.

A minha estação favorita do ano no natural é o inverno, quando o clima fica seco, mas prefiro a estação de chuva no espiritual. Eu equiparo a chuva de Deus à bênção de Deus e ao derramar do Espírito Santo. Para dizer de outra maneira, eu vejo a chuva de Deus e a estação de chuva espiritual como o tempo (estação) do avivamento.

Sem sombra de dúvidas o Brasil tem desfrutado de um longo período de avivamento. É bem possível que a igreja evangélica tenha crescido mais nos últimos vinte anos do que nos últimos duzentos anos. Milhões de brasileiros se entregaram a Jesus em um curto espaço de tempo. E nos regozijamos por isto. Contudo, o crescimento espiritual não tem acompanhado o crescimento numérico. As igrejas brasileiras estão cheias de bebês espirituais. Isto não é ruim a não ser que eles permaneçam como bebês para sempre. Chegou a hora da igreja brasileira crescer e plantar profundamente suas raízes no Rio de Deus.

As estações de chuva de nossas vidas, quando o Espírito Santo está sendo derramado, conforme temos visto nos últimos anos, produzem um crescimento rápido na superfície mas raízes pouco profundas. Muitos que no passado queimavam com o fogo de Deus agora estão se sentindo secos e vazios. Alguns até mesmo tomam isto como uma oportunidade para se desviarem ou para se envolverem em relacionamentos e atividades inapropriadas. O que isto prova é que eles só podiam sobreviver os tempos fáceis quando a chuva de Deus os mantinha molhados em Sua presença e quando pouco era exigido deles.

Muitos anos atrás, minha esposa Marti e eu, compramos uma linda planta para a nossa nova casa. Ela era linda com grandes folhas verdes que trouxe uma sensação muito gostosa de aconchego para o nosso lar. Aquela planta tinha crescido em um viveiro onde a temperatura era cuidadosamente controlada; ela recebia a quantidade correta de água e luminosidade todos os dias, e era tratada com muito zelo pelos especialistas. Em outras palavras, ela cresceu em um ambiente perfeito.

Nós a levamos para casa e durante alguns dias ela permaneceu imponente e bela. Entretanto, em um curto espaço de tempo as folhas começaram a cair e um pouco do seu “brilho” começou a desaparecer. Eventualmente a planta morreu. Qual foi o problema? É muito simples, a planta só podia sobreviver em uma atmosfera perfeita.

Eu e a Marti fizemos tudo o que estava ao nosso alcance mas a planta simplesmente não pode suportar o mundo real do nosso lar. Aprendi uma lição valiosa, já que não vivemos em um mundo perfeito, se nós formos “plantas de um viveiro” nós provavelmente não sobreviveremos ao mundo real do nosso dia a dia.

Pouco tempo após esta experiência, eu fiz uma viagem missionária à Jamaica. Enquanto eu estava lá eu fiquei chocado em ver o mesmo tipo de planta cuja altura era superior a uma casa e com folhas grandes o suficiente para protegerem uma pessoa da chuva. A lição que se deve tirar é esta: as plantas na Jamaica podiam suportar as estações e usavam cada estação em sua própria vantagem e cresciam até chegarem à maturidade.

Para muitas pessoas eu creio que o tempo (estação) espiritual no Brasil está mudando. Eu creio que muitos estão adentrando um período de sequidão espiritual. Isto não é algo ruim se você compreender que cada estação é temporária e necessária para gerar maturidade.

Estar passando por um tempo (estação) de seca não significa necessariamente que você precisa ser uma pessoa “seca”. Isto é muito importante! Deixe-me dizer isto novamente, estar passando por um tempo (estação) de seca não significa necessariamente que você precisa ser uma pessoa “seca.” Todavia, significa que você precisa cavar mais fundo para encontrar água, que é essencial para o funcionamento de um forte sistema de raízes. Se uma árvore for grande mas suas raízes forem pequenas até mesmo um vento fraco pode derrubá-la. Contudo, se a árvore tiver firmado raízes profundas no solo, ela permanecerá em pé mesmo quando outras estiverem caindo.

Então o tempo de seca tem um propósito em sua vida. É o momento para cavar mais fundo e encontrar a fonte de água viva que está muito abaixo da superfície. Eu te garanto que ela está ali para ser encontrada. Aqueles que sobreviverem um tempo de seca – estiagem – prosperarão em seu relacionamento com Jesus e quando a estação de chuva voltar eles estarão firmes para desfrutarem da chuva. Aqueles que sucumbirem no tempo de estiagem, nunca discernirão a mudança das estações para poderem desfrutar do tempo refrescante que sempre sucede o tempo de aridez.

Outra coisa que o tempo seco produz é a habilidade de encontrar Jesus sem o auxílio de uma equipe de adoração ou até mesmo de outros cristãos que estão queimando com o fogo de Deus. Você vai aprender a adorar sozinho e receberá diretamente do Senhor, sem fazer uso de intermediários. Novamente, um tempo (estação) seco não significa que você precisa ser uma pessoa “seca”. Significa que você precisa encontrá-lo em um lugar mais profundo. Isto produz um caráter mais forte e é um verdadeiro crescimento como cristão.

No evangelho de Marcos capítulo onze encontramos Jesus saindo da cidade quando Ele deparou-se com uma figueira coberta por folhas. Na figueira o fruto sempre aparece ao mesmo tempo que as folhas, então Jesus esperava encontrar fruto na árvore. Infelizmente havia folhas mas Ele não encontrou nenhum fruto, Jesus então amaldiçoou a árvore.

Talvez alguns estão cobertos por folhas e aparentam ser belos e frutíferos quando estão debaixo da chuva de Deus. Contudo, após um exame mais preciso verifica-se que não existem frutos, somente folhas. Nenhum de nós deseja ser encontrado nesta condição.

Se um tempo seco exige que você cave mais profundo para encontrar a Deus e para encontrar a sua fonte pessoal de água, então um tempo (estação) seco é tão produtivo para você quanto a estação de chuva.

Jesus não te abandonou. Ele não se esqueceu de você. Ele apenas se escondeu um pouco mais para que você o busque com maior paixão. Ele está lá, eu prometo. “Buscai e achareis.”

http://www.somdachuva.com.br/2007/jornal/compreendendo.html