26 de janeiro de 2008

Monitor de Coração


Edith Schaeffer discorre de um homem da tribo Lisu, nas distantes colinas da China. Havia nele um grande desejo do Deus que ele não conhecia. Certo dia ele encontrou em seu caminho pela montanha uma página rasgada de um catecismo no dialeto de Lisu. Ele leu: "Há mais deuses que o Único? -- Não, só há um Deus. Devemos adorar ídolos? -- Não...". E o restante estava rasgado.

Ele foi para casa e destruiu seus altares. Logo em seguida, sua filha ficou muito doente e seus vizinhos zombaram de sua atitude ao enfurecer os demônios. O homem pensou que, se havia um verdadeiro Deus, talvez pudesse alcançar esse Deus com sua voz. Ele não sabia nada sobre oração, mas subiu ao topo do mais alto cume na redondeza -- cerca de 300 a 500 metros de altura -- e gritou: "Ó Deus, se o senhor realmente está aí e é o Único a quem devo adorar, por favor, faça a minha menina ficar boa de novo".

Levou muito tempo para conseguir retornar, mas chegando em casa encontrou a pequenina completamente curada, sem necessidade de um período de convalescença. A criança se recuperara no momento em que o homem havia orado. Ele se transformou em verdadeiro evangelista por toda a região. Edith Schaeffer comenta: "Haveria tantas histórias semelhantes a essa, que imagino os milhares de anos que se levaria para descobrir tudo a respeito delas".

Isso se deve à busca de Deus que, de modo contante, "monitora" os corações. Não é preciso grande sofisticação ou muita informação sobre Deus para ser alcançado por ele.

Citação de Dallas Willard em "A Renovação do Coração" p.178-179, de Affliction, obra de Edith Schaeffer. Você conhece histórias semelhantes? Comente!