29 de março de 2008

O ser mais jubiloso do universo

Quando eu estava lecionando na África do Sul algum tempo atrás, um rapaz chamado Matthew Dickason me levou para conhecer as praias perto da sua casa em Port Elizabeth. E o que vi me pegou de surpresa. Eu sabia bem o que era uma praia, ou assim pensava. Mas, quando chegamos ao cume do morro de onde se descortinavam o mar e a praia, fiquei simplesmente boquiaberto e calado; lentamente desci até as ondas. Palavras não conseguem exprimir a visão com que me deparei. Vi espaço, luz, textura, cor e poder... que mal pareciam ser desta terra.

Gradualmente foi se insinuando em minha mente a percepção de que Deus enxerga isso o tempo todo. Ele vê, vivencia, conhece tudo isso de cada possível ponto de vista, essa e bilhões de outras cenas iguais e diferentes, neste e em bilhões de outros mundos. Enormes vagalhões de alegria devem constantemente varrer o seu ser.

Dallas Willard, A Conspiração Divina, p. 82