27 de abril de 2008

A casa do meu Pai (via Hubble)

Espiral estelar na Nebulosa da Águia-Mostruário do Hubble

Surgindo como uma criatura alada dos contos de fadas equilibrada em um pedestal, esse objeto é de fato uma torre giratória de gás frio e poeira que sobe de um berçário estelar chamado Nebulosa da Águia, imagem gerada pelo telescópio espacial Hubble da NASA.

A torre erguida está a 9,5 anos-luz ou a aproximadamente 92 trilhões de quilômetros de altura, por volta de duas vezes a distância do nosso Sol à estrela mais próxima. As estrelas da Nebulosa da Águia nascem em nuvens de hidrogênio frio que residem em regiões caóticas onde a energia de estrelas jovens esculpe paisagens fantásticas no gás.

A torre pode ser uma gigantesca incubadora para essas estrelas recém-nascidas. Uma torrente de luz ultravioleta de uma constelação de estrelas gigantes, quentes e jovens [fluindo do topo da imagem] está corroendo o pilar. A luz estelar também é responsável por iluminar a superfície irregular da torre.

Faixas luminosas espectrais de gás em ebulição podem ser vistas se desprendendo da superfície, criando uma nebulosa ao redor da estrutura e realçando sua forma tridimensional. A silhueta da coluna é destacada contra o brilho de fundo dos gases à distância. ...
Saiba mais sobre esse objeto »

Também conhecido como: M16,Nebulosa da Águia, NGC 6611, IC 4703

Créditos: NASA, ESA e The Hubble Heritage Team (STScI/AURA)

-------------------------------------------
Essa é a descrição encontrada no Google Sky para a nebulosa de Àguia, mostrada em detalhe pelo telescópio espacial Hubble, há dezoito anos em órbita. O Sky permite cibernauta observar galáxias e planetas diretamente através do browser.
-------------------------------------------
"Admirando essas imagens, e refletindo sobre a história e o contínuo desenvolvimento do universo, não pude deixar de pensar nas palavras que disse Jesus antes de deixar o seu pequeno grupo de alunos:

"Na casa de meu Pai há muitos lugares para morar... Pois vou lhes preparar um lugar" (Jo 14.2)
(Dallas Willard, A Conspiração Divina, p. 83)
-------------------------------------------------
Você acredita nisso?